Breaking News

Britannia ao largo nos AƧores e paquetes atracados na Madeira







A imagem mostra o Britannia fundeado perto do porto de Ponta Delgada


šŸ“·  DR  šŸ“·






O navio de cruzeiros Britannia teve de fundear hoje em Ponta Delgada, na ilha de SĆ£o Miguel, nos AƧores, por causa da greve nos portos nacionais, convocada pelo Sindicato dos Trabalhadores das AdministraƧƵes PortuĆ”ria. Ao que se sabe, o porto da capital aƧoriana tinha espaƧo para o paquete atracar mas teve de ficar Ć  entrada, fazendo o transbordo atravĆ©s dos barcos salva-vidas.





por Paulo Camacho





O Britannia saiu das CaraĆ­bas no dia 20 e depois desta escala, sempre a balanƧar, segue jĆ” para Southampton, no sul de Inglaterra. Por isso, depois daqueles longos dias em alto-mar a atravessar o AtlĆ¢ntico, ainda teve de fundear.


Os AƧores acabaram por passar uma imagem negativa, numa altura em que procuram afirmar-se no mercado dos cruzeiros.


E a verdade Ć© que os sindicatos, por mais cobertos de razĆ£o que estejam, e sejam escudados no direito Ć  greve, acabam por contribuir para beliscar o resultado de muitos esforƧos na promoĆ§Ć£o e, a mĆ©dio e longo prazo, podem caminhar para afugentar os cruzeiros, com as consequĆŖncias diversas que daĆ­ pode advir.


O Sindicato decretou uma greve desde as 00h00 de hoje, segunda feira, atƩ ao dia 30, com mais dois dias, 31 de marƧo e 1 de abril, de greve Ơs horas extraordinƔrias.




Madeira com 3 cruzeiros atracados







Os trĆŖs navios de cruzeiro que hoje tiveram o Funchal no seus rumos


šŸ“·  Paulo Camacho  šŸ“·




Mas, ao invĆ©s dos AƧores, a Madeira contou hoje com a escala de trĆŖs navios de cruzeiro: AIDAprima, Marella Dream e Magellan, e ainda de 3 navios de carga: Insular, Funchalense 5 e Monte da Guia.


Uma realidade que acontece devido aos Portos da Madeira terem fechado negociaƧƵes com o referido sindicato, aprovando na generalidade o Acordo de Empresa.


AlĆ©m disso, o acordo garante a operaĆ§Ć£o dos navios da linha da Madeira nos portos portugueses esta semana, “numa altura em que a regiĆ£o ainda estĆ” a recuperar o transporte de carga, devido ao mau tempo deste inverno, e num perĆ­odo de maior movimento de mercadorias e passageiros como a PĆ”scoa”.





Meio milhĆ£o de euros





Os trĆŖs navios de cruzeiros trouxeram Ć  Madeira neste dia um total de 6.868 passageiros (4.172 passageiros no AIDAprima, 1.539 no Marella Dream, e 1.157 no Magellan) e 2.149 tripulantes: 965 no AIDAprima, 618 no Marella Dream, e 566 no Magellan.


Ou seja, estas 3 escalas traduziram a entrada direta na economia da ilha da Madeira cerca de meio milhĆ£o de euros, sĆ³ de receitas dos passageiros, sem contar com taxas e serviƧos pagos pelas companhias de cruzeiros.





Sem comentƔrios